domingo, 9 de setembro de 2007

O nosso amor!

Essa causa quase perdida
Essa nossa idéia velha

talvez seja!

"E é preciso saber que o sonho não deve passar de uma noite..."

Não vejo nada e sinto
É quase uma esperança
Esse monstro mitológico que é a esperança
A constante possibilidade de começar tantas vezes
Essa vontade de pintar o nós de vermelho
A sensação da queda que me faz acordar
O medo de perder o medo
O sonho que se confunde na lembrança vaga do teu cheiro
O caos que faz esse poema sem métrica, nem rima nem centro
O sonho que me fiz feliz ai onde imaginei tua felicidade
E lá nesse dia, onde ambos sorrimos e depois choramos
E lá mesmo onde curamos tudo com um beijo no final.

E é preciso saber...
Que essa nossa causa quase perdida
Um dia foi veludo, um dia foi vermelho
E esse dia há de sentar no porvir!

Um comentário:

M*** disse...

conheço